Nossa História

Em 1996, eu, Maria Priscila de Arruda Botelho, conheci o termo "Aromaterapia" no jardim da minha casa na Fazenda Rancho Alegre, no município de Barra Bonita-SP, onde morava já com meus 3 filhos. Recebemos um grupo de estudiosos, pesquisadores, aromaterapeutas, psicoaromaterapeutas e simpatizantes que vieram para conhecer o cultivo e os métodos de extração dos óleos essenciais produzidos no Brasil.

Ficaram fascinados com a produção em grande escala e com os processos de extração dos óleos essenciais das plantas aromáticas. E eu fascinada por conhecer “A Arte e a Ciência através da Aromaterapia".

Até onde eu sabia os óleos essenciais que produzíamos eram comercializados como insumos para indústrias farmacêutica, alimentícia, cosmética, de perfumaria e de produtos de limpeza, exportados para mais de 20 países ao redor do mundo.

Foi desde esta visita que iniciei minha jornada de estudo, pesquisa e prática da Aromaterapia.

Parece inusitado para o século XXI, mas sou tataraneta da Condessa do Pinhal e lendo relatos históricos da família me identifiquei de corpo e alma com ela.

Anna Carolina de Melo Oliveira de Arruda Botelho, esse era o nome dela. Nasceu no seio da nobreza, em 1884. Foi Baronesa, Viscondessa e Condessa do Pinhal quando se casou com Antônio Carlos de Arruda Botelho, o Conde do Pinhal.

Sendo o Pinhal uma fazenda de criar gados, havia que perfumar a casa. Era o que Anna fazia:

Anna Carolina de Melo Oliveira de Arruda Botelho

Anna Carolina de Melo Oliveira de Arruda Botelho
a Condessa do Pinhal (foto do final do século 19)

“Todas as manhãs depois do café ia dar um grande passeio pelo pomar e jardim, sempre acompanhada e voltava com as mãos cheias de flores, com que ornava a casa e seus santos.”

Anna Blandina de Arruda Botelho

Também para perfumar a casa usava-se um braseiro com folhas de alfazema e um pouco de açúcar. Percorriam-se os cômodos, então, com essa espécie de turíbulo, em um ritual propiciatório do prazer de receber hóspedes.

“A roupa em sua casa é primorosamente lavada, passada e cuidada, sempre perfumada; nos armários e gavetas tinha sempre pétalas de rosa d ’aquellas antigas e cheirosas que não se vê mais, saçafraz, alfazema, sândalo, etc.”

Maria Carlota Klingelhöefer

Decoração Flor

Por ironia do destino aqui estou, envolvida com as plantas aromáticas e suas propriedades naturais através dos óleos essenciais.

Pena não ter vivido naquela época, naquele jardim, onde abrigava camaradinhas, malvas, jasmins, madressilvas, entre outras plantas, mudas e sementes de flores. Mesmo assim, digo que cresci num universo povoado pelas histórias que meu avô, Antônio Carlos L. de Arruda Botelho contava, sobre a sua infância e juventude, enquanto assistíamos ao por do sol no terraço da “Casona” na Fazenda Santo Antônio dos Ipês em Jaú.

Muitas dessas histórias estão no livro de Margarida Cintra Gordinho, A Casa do Pinhal, histórias que me aproximam afetuosamente dos meus antepassados.

Agradeço a todos que me fizeram acreditar que conseguiria manter o conceito da Aromaterapia e a qualidade dos óleos essenciais. Estamos sempre mais perto de vocês trabalhando para melhor atende-los com muito prazer.

Decoração coração

Loading...